Como fazer uma reserva de emergência

Reserva de Emergência
O melhor investimento para uma reserva de emergência dependerá do seu perfil como investidor.

Dados da Associação Brasileira de Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima) apontam que mais da metade dos brasileiros não têm um fundo de emergência. Mas, se aprendemos algo com a pandemia, é que o futuro é incerto. Por isso, é muito importante ter uma reserva de emergência para que você não sofra com o aumento do desemprego, a diminuição da renda familiar e o aumento dos juros que geralmente vêm junto com as crises.

Aprenda a seguir a fazer a sua reserva e viva com mais tranquilidade!

Reserva de emergência: como fazer

O fundo de emergência é um montante de dinheiro reservado para situações imprevistas, como problemas de saúde, demissões ou rendimentos menores do que o esperado. A reserva de emergência para empresa serve para evitar dívidas e empréstimos e manter o equilíbrio da vida financeira do negócio.

Você precisa ter o controle financeiro da empresa. Com uma planilha financeira, você informará os ganhos, os gastos e o total investido no negócio. A partir desse orçamento, você saberá de onde é possível tirar um valor determinado para sua reserva.

Mas quando usar a reserva de emergência? O nome já diz, em situações urgentes e inesperadas. Não vale usá-la para férias, lazer ou gastos supérfluos. Também não é bom usar sua reserva até acabar, o valor deve ser recomposto assim que a emergência em que ele for gasto chegar ao fim.

Tenha o departamento financeiro online em sua empresa! Conheça as vantagens da Contta+!

Como calcular a reserva de emergência?

Educadores financeiros indicam que o fundo de emergência deve corresponder a seis meses dos seus gastos. Para o caso de trabalhadores autônomos, esse valor deve ser maior, já que a renda mensal não é fixa. Um servidor público, por exemplo, pode ter uma reserva maior, pois tem estabilidade.

Tomando como base o que os educadores financeiros estimam, o cálculo deve ser o seguinte: a soma de todas as despesas (incluindo aluguel, água, luz, internet, ou seja, tudo que é gasto mensalmente) multiplicada por 6 para chegar ao valor final da reserva.

Atenção: a conta da empresa não pode ser considerada como a reserva de emergência. Muitas vezes, por perceber que há um dinheiro ali, o empreendedor não se preocupa em fazer o fundo de reserva e vai gastando o dinheiro do negócio para situações inesperadas. O seu fundo de emergência deve ser um dinheiro livre de amarras, que possa ser gasto sem prejudicar outros setores da sua vida. Com a pandemia, muitas empresas fecharam, pois os donos não fizeram um fundo de emergência independente para usar em momentos de crise. Nesse caso, se você empreende, deve separar a reserva pessoal da reserva que será utilizada em seu negócio. Fique atento!

Melhor investimento para reserva de emergência

O melhor investimento para uma reserva de emergência dependerá do seu perfil como investidor. Seja ele conservador, moderado ou arrojado (os que arriscam menos, os que arriscam de forma calculada e os que apostam tudo na hora de investir, inclusive patrimônio, respectivamente), há um investimento para cada perfil.

Entenda as taxas de cada um para escolher entre o Tesouro Selic, CDB com liquidez diária, LCI e LCA com liquidez diária e fundos de renda fixa. A liquidez refere-se a facilidade de resgate dos valores, pois há investimentos que “prendem” seu dinheiro por um período longo de tempo para que ele possa render. Esse conhecimento será muito útil para que seu fundo de reserva esteja disponível quando for necessário e você não precise contrair dívidas.

Entenda tudo sobre a gestão financeira do seu negócio, conte com a Contta+!

Materiais para facilitar a sua rotina

Calculadora CLT X PJ X AUTÔNOMO

Versão 2020: compare agora os modelos de contratação e escolha o melhor para você!

Calculadora de FATOR R

Saiba se sua empresa pode pagar menos impostos por mês!

Deixe um comentário

Posts Relacionados

Envie seu Currículo

Junte-se ao nosso diverso grupo de colaboradores.

Abrir WhatsApp